Passar ao conteúdo
Pode ouvir este post em áudio, clique play!
Temos a sorte de estar nesta fase emocionante da vida. A mudança é contínua, e nós estamos habituados a viver com ela.
 
Independentemente do nosso campo de atividade, podemos tirar partido destas mudanças para obter uma vantagem competitiva para o nosso negócio.
 
A tecnologia é um dos principais facilitadores que torna possível implementar rapidamente novas ideias e, no mundo dos seguros, um setor muito tradicional, estão a ser feitos progressos importantes, tanto na digitalização como nos novos modelos de negócio graças à tecnologia.

Por um lado, as companhias de seguros estão à procura de novas linhas de seguros para fazer crescer o seu mercado e, por outro lado, para aumentar a sua quota de mercado, inovando nos seguros tradicionais para atrair clientes.
 


Novas linhas de seguros "movidas pela tecnologia tornada possível pela tecnologia".

Até há apenas alguns anos atrás os bens a segurar eram o macaco, o cavalo e o rei, digamos casa, carro, saúde, morte...


Novos produtos para segurar, tais como smartphones/tablets, scooters elétricas, painéis solares?

Agora temos uma enorme variedade de outros bens que podem (e devem em muitos casos) ser segurados. Referimo-nos a um smartphone/tablet, uma scooter elétrica, um painel solar... Estes bens surgiram graças a alguma inovação tecnológica nos novos materiais, baterias de lítio de alta capacidade, novas fontes de energia, comunicações, etc. Em geral, são produtos de alto valor económico e estão expostos a roubos e acidentes, e por esta razão, é altamente recomendável segurá-los.
 
É aqui que surgem novos seguros que aumentam o mercado de seguros, e também, através da tecnologia existente, como a Cloud, sistemas biométricos, geoposicionamento, comunicações rápidas e seguras 5G, entre outros, permitem que estes seguros sejam comercializados através de canais digitais.
 

Seguro de mobilidade pessoal

Outro exemplo dos novos desenvolvimentos no setor é o seguro de mobilidade pessoal, que consiste em subscrever um seguro para uma viagem específica a ser feita utilizando uma scooter elétrica, uma bicicleta, um carro partilhado ou outro meio de transporte. O cliente só paga essa viagem, e é possível segurar tanto os danos a terceiros como a responsabilidade civil, bem como os danos ao próprio meio de transporte.

Mais uma vez, a tecnologia torna possível a comercialização deste tipo de seguros, uma vez que as tecnologias disponíveis de geoposicionamento, biometria, comunicações seguras, etc. tornam possível evitar a fraude e o uso indevido por parte de alguns clientes.

 

Atrair clientes de outras companhias de seguros através de "seguros On Demand".

Por outro lado, os hábitos da sociedade mudaram, e cada um de nós está numa busca permanente de eficiência económica.
 
Os seguros tradicionais, que normalmente são contratados numa base anual, devem agora competir com outros seguros com as mesmas características. Por exemplo, um seguro automóvel, mas neste caso, mesmo oferecendo a mesma cobertura e até os mesmos preços, é oferecido ao cliente num modo "pay-as-you-go", ou seja, o cliente pagará apenas pelos dias em que utilizar o automóvel, e isto é feito através da marcação numa aplicação móvel quando desejar ter a cobertura contratada e pagar o prémio correspondente em tempo real com as diferentes formas de pagamento on-line (Paypal, Google Pay,...).

 

Evolução do seguro automóvel para um modelo Bonus Malus baseado em hábitos de condução

Mais uma vez, graças à tecnologia atual, em breve poderemos ver como a nossa companhia de seguros nos dará um bónus sobre o nosso seguro automóvel quando formos condutores modelo.
 
Os avanços tecnológicos introduzidos na indústria automóvel sob o conceito de "carro ligado" permitirão às companhias de seguros controlar melhor o risco dos seus segurados e aplicar prémios com base nisso.
 
Para atingir este cenário, serão necessários acordos entre fabricantes de automóveis, empresas de leasing, companhias de seguros e outros intervenientes no ecossistema para partilhar a informação fornecida pelo veículo e tirar conclusões sobre hábitos de condução, estado do veículo, frequência de utilização, etc.
 
Mas nem tudo é cor-de-rosa. Os governos terão de se lançar ao trabalho e legislar sobre o direito à privacidade, confidencialidade e outros aspetos para tornar possíveis estes novos produtos de seguros.

 
Julio  Lozano Blanco
Julio Lozano Blanco Perfil en Linkedin

Business Development Manager en BABEL.

Mais posts de Julio Lozano Blanco